pg-nmga
Compartilhe

Casa do Ivo inova em serviço de hospedagem

A história do negócio será apresentada no programa Conta a Virada, no Youtube do Sebrae e Canal Empreender
PorASN/PA
pg-nmga
Compartilhe

Um cenário propício para empreender no segmento do turismo na região do Baixo Amazonas levou o então professor da área de Tecnologia da Informação a largar o serviço público e investir na área. Atento às necessidades do mercado e dos clientes, o empreendedor decidiu inovar na oferta de hospedagem e abriu a pousada Casa do Ivo. “O hóspede vem e, diferentemente de um hotel ou pousada tradicional, tem toda uma dinâmica de ambientação de uma casa, com cozinha completa, área de serviço, lavanderia, área para churrasco, espaço kids e por aí vai. Esse é o nosso cerne, é oferecer uma ‘casa’ acoplada ao quarto que é reservado”, destaca o empresário.

A proposta deu certo. Logo nos primeiros meses no mercado, a pousada ganhou destaque nas plataformas digitais, fazendo com que o empreendedor ampliasse o seu negócio.

“A coisa teve um sucesso tão grande e rápido, que logo nós estávamos nas plataformas de hospedagem, como Airbnb e Booking. Já havia demandas muito grandes, um fluxo de hóspedes muito maior que a média geral da rede hoteleira, que era deficitária. Aí tive que fazer um investimento em um ambiente maior.”

Mas, o desafio maior veio com a pandemia, que afetou de forma negativa o segmento de turismo, quando precisou se reinventar. A solução que o empreendedor tomou para não fechar as portas foi diminuir os custos. “Tivemos zero clientes por alguns meses, mas continuei na aposta de que uma hora ia voltar a engrenar. Então, continuei sozinho e sem equipe. Eu mesmo fazia o café da manhã, arrumava, fazia os serviços gerais, era o gerente, fazia tudo, e tinha a ajuda da minha esposa”, lembra Ivo.

Atualmente, a Casa do Ivo tem duas unidades, no cento urbano de Santarém e em Alter do Chão.

Parceria com o Sebrae

A parceria com o Sebrae no Pará iniciou quando Ivo decidiu deixar de ser professor e começar a empreender. “Aproximei-me do Sebrae local, de Santarém, e caí de cabeça em cursos on-line para começar a ajudar em coisas de que eu precisava. Eu já tinha espírito de empreendedor, mas a parte burocrática e administrativa, eu não tinha noção”, conta o empreendedor.

No início do empreendimento, o dinheiro do Ivo e a receita da pousada se misturavam. “No início, como toda empresa pequena, o dinheiro do Ivo era o da pousada e vice-versa, não havia uma separação. Só fui mudar essa visão quando fiz os cursos do Sebrae, de fluxo de caixa e outros”.

No auge da pandemia, o Sebrae/PA também foi fundamental para que o empreendedor saísse do período de crise e desse a virada necessária. Por meio de cursos e consultorias, Ivo conseguiu superar as dificuldades e retomar o sucesso da pousada.

“Tive que ir buscar cursos no Sebrae. Fiz cursos on-line de planejamento estratégico, gestão financeira, precificação que tratava de produtos e comércio em geral, mas peguei as ideias e adequei aos valores das diárias para uma pousada e funcionou muito bem”, explica.

Com o cenário de pandemia melhorando, a Casa do Ivo de Santarém voltou acrescer, surgiu a oportunidade de abrir a primeira unidade em Alter do Chão e, em seguida, o empreendedor se tornou presidente da Associação de Empreendedores de Turismo em Alter do Chão (AETHA). “Hoje, nós temos uma pousada em Alter que está entre as mais bem avaliadas, que possui um maior fluxo de hospedagem dentro da média em geral”, comentou.

Clientes

Atualmente, os principais hospedes da Casa do Ivo são de Mato Grosso, que possuem um acesso fácil pela estrada. Além deles, o empreendedor percebeu que as pessoas que residem em São Paulo e no Rio de Janeiro passaram a frequentar mais Alter do Chão após a pandemia.

Em relação aos hospedes estrangeiros, a realidade foi inversa. “Antes da pandemia, 1/3 dos hospedes eram estrangeiros e vinham de todos os lugares do mundo. Na pós-pandemia até os dias atuais, o número de estrangeiros diminuiu bastante, mais ou menos uma diminuição de 10% a 15%.”, destaca Ivo.

A taxa média de ocupação das pousadas na alta estação fica entre 89% e 92%, que é durante o período de seca do rio Tapajós (agosto a janeiro). O tempo de permanência vária de 3 dias a 3 meses. “A nossa média geral é de uma hospedagem de 3 dias, mas têm hospedes que passam 3 meses”, frisa.

Esse é um diferencial da pousada em relação aos hotéis. “Temos um índice alto de 30% do ano em que nós temos uma fatia grande de hospedagem corporativa, as pessoas vêm aqui a trabalho, são estadias longas. Os hotéis não oferecem um ambiente para estadias longas, a minha pousada oferece um conjunto de comodidades que trazem a sensação de estar em casa”.

“Aqui é maravilhoso. A pousada é bem a cara do local, bem simples, mas aconchegante. Você não se sente em um hotel, você se sente como se fizesse parte do ambiente”, comenta o paulista que mora em Ubatuba, Ricardo de Paula, hospedado na pousada.

Ricardo conta que a escolha pela pousada foi por se um local aconchegante, seguro e atendimento personalizado. “Eu viajo bastante a trabalho. Estou sempre em hotel, pousadas e, a partir desse conhecimento que tenho do padrão que se tem de hotel e pousada, posso dizer que aqui é como se te abraçasse, é um tratamento diferenciado. Você fica à vontade, isso te traz mais segurança”.

O preço da hospedagem também foi algo decisivo para a escolha do paulista. “O preço atende à expectativa do ambiente. Acho que o preço é justo pelo que é entregue”, frisou.

Ambiente digital

O marketing feito nas redes sociais, nos sites de busca e em plataformas de hospedagem também ajudam no aumento do número de hospedes da Casa do Ivo.

“A gente capta esses clientes interessados para conversação direta via whatsapp, que fechamos muita reserva direta, em torno de 45%. 30% vêm pela plataforma Booking e o percentual menor vem das plataformas menores como hotel.com, decolar, trivago e outras”.

Nos últimos meses, o Instagram tem sido uma ferramenta estratégica e lucrativa para o empreendedor, que o fez conhecer outros perfis de clientes que também têm interesse em se hospedar na pousada. “Passei a descobrir um outro tipo de público, um outro tipo de engajamento. No Instagram é mais direto ao ponto, as pessoas veem fotos, fazem perguntas e fecham reservas”.

Essas oportunidades também foram apresentadas ao empresário pelo Sebrae, em cursos oferecidos pela instituição. “A gente teve um aumento de 20% a 25% de reservas oriundas do Instagram”, frisou Ivo.

Para o futuro

A meta do empreendedor é ter quatro unidades da Casa do Ivo até o mês de julho, com a inauguração de mais duas unidades em Alter do Chão.

Para um cenário de 5 anos, Ivo pretende abrir unidades em outros municípios. “Eu quero estar em um andamento similar ao que nós temos agora. A previsão é de que a gente tenha mais unidades, como, por exemplo, em Belterra”.

Conheça mais a Casas do ivo em @pousadascasadoivo.

Conta a Virada

A história de Ivo será apresentada no programa Conta a Virada, no Youtube do Sebrae e Canal Empreender. A equipe de produção esteve em Alter do Chão de 19 a 21 de junho.

Acompanhe a programaçãoyoutube.com/sebrae.

  • hospedagem
  • pousada