pg-nmgaAtualização
Compartilhe

Conselho Nacional do Desenvolvimento Industrial é reativado com apoio do Sebrae

Programa Brasil Mais Produtivo, realizado em parceria com a instituição, destaca-se entre as iniciativas em andamento para promover a competitividade dos negócios industriais
PorRedação
pg-nmgaAtualização
Compartilhe

Com a missão de construir uma nova política industrial para o Brasil, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI) foi reativado pelo governo federal, após sete anos sem funcionamento. Nesta quinta-feira (6), o Sebrae participou, no Palácio do Planalto, da 17ª reunião que marca a volta das atividades do colegiado, formado por representantes do governo e da sociedade civil, além de entidades industriais.

O presidente do Sebrae, Décio Lima, destacou que o apoio da instituição ao Conselho vai contribuir naquilo que é pertinente à industrialização dos pequenos negócios. Segundo ele, por meio do programa Brasil Mais Produtivo, a instituição vai disponibilizar capacitações para ajudar o país no tema industrial. “Estamos retomando o Conselho para levar novamente o Brasil a ter protagonismo industrial a fim de superar essa queda que, infelizmente, verificamos na participação da indústria no PIB Brasileiro”, frisou.

Presidido pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), o CNDI é vinculado à Presidência da República. Durante a reunião, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o governo não tem tempo a perder para criar as condições necessárias para o que chamou de nova revolução industrial. “A gente voltou para tentar fazer as coisas diferentes. E fazer a revolução industrial neste país, para sermos competitivos de verdade. A hora é agora”, declarou.

O vice-presidente da República e ministro do MDIC, Geraldo Alckmin, destacou a ampliação do Brasil Mais Produtivo (B+P), programa realizado em parceria com o Sebrae, além da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Segundo o ministro, entre 2023 e 2026, será mobilizado R$ 1,5 bilhão para o programa que oferece gratuitamente consultoria técnica com soluções para aumentar a produtividade, a inovação e gerar mais transformação digital às micro, pequenas e médias empresas brasileiras, por meio de melhorias rápidas, de baixo custo e de alto impacto.

Inscrições abertas para novo ciclo do Brasil Mais Produtivo

A partir de julho, começa o novo ciclo do programa Brasil Mais Produtivo. Serão oferecidas mais de 30 mil vagas, sendo 25 mil para as empresas interessadas em aumentar a produtividade por meio de melhorias de práticas gerenciais e/ou otimização da linha de produção (ALI Produtividade) e mais 3,2 mil vagas para empresas que querem realizar a transformação digital do negócio, a partir da implementação de solução diagnosticada durante o programa (ALI Transformação Digital).

Por até seis meses, um Agente Local de Inovação (ALI) acompanha microempresas e empresas de pequeno porte que querem se tornar mais competitivas no mercado e ter ganhos de produtividade. Os interessados em participar, gratuitamente, já podem se inscrever aqui.

  • Agentes Locais de Inovação
  • ALI
  • Brasil Mais Produtivo
  • CNDI
  • Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial
  • Indústria
  • Inovação